O sobrepeso e a obesidade est√£o relacionados a uma s√©rie de problemas no organismo, como a hipertens√£o arterial, altera√ß√Ķes do colesterol e aumento do risco de desenvolver uma s√©rie de doen√ßas, entre elas o diabetes. De acordo com uma pesquisa do¬†Centro de Neuroci√™ncias Comportamentais da American University, em Washington, D.C., a condi√ß√£o tamb√©m pode ser ruim para o c√©rebro.

A descoberta se deu enquanto o a equipe¬†buscava informa√ß√Ķes sobre o hipocampo, uma parte do c√©rebro que est√° fortemente relacionada √† mem√≥ria. Ele tentava descobrir quais eram as atribui√ß√Ķes das diferentes partes do hipocampo. Um dos estudos, realizado com ratos, verificava o que ocorria ap√≥s danos espec√≠ficos no hipocampo.

Nesta etapa, notou-se que os ratos com danos no hipocampo procuravam alimentos com mais frequência do que os demais, mas comiam um pouco e logo deixavam a comida de lado.

A conclus√£o foi de¬†que esses ratos n√£o sabiam se estavam satisfeitos. Os pesquisadores acreditam que o¬†mesmo¬†possa acontecer em c√©rebros humanos, quando as pessoas mant√™m uma dieta rica em gordura e a√ß√ļcar.

A partir da√≠, eles cruzaram os resultados de outros estudos sobre o tema, e chegaram √† conclus√£o de que uma dieta rica em gorduras saturadas e a√ß√ļcares pode, sim, afetar regi√Ķes do c√©rebro importantes para a mem√≥ria.

Novos caminhos para o tratamento da obesidade

O entendimento de como a obesidade afeta o cérebro e a memória pode ser um grande caminho para evitar que as pessoas se tornem obesas.

Se a qualidade dos alimentos contidos na dieta das pessoas obesas pode causar preju√≠zos √† mem√≥ria e torn√°-las mais propensas a comer demais, ent√£o talvez fazer das refei√ß√Ķes mais marcantes possa ajudar a comer menos coisas ruins. Assistir televis√£o durante o almo√ßo, por exemplo, faz com que as pessoas se distraiam e acabem comendo mais. Tamb√©m aumenta a probabilidade de ter fome na parte da tarde e novamente comer excessivamente no jantar.

Evitar assistir televis√£o durante as refei√ß√Ķes, portanto, √© uma pequena mudan√ßa, bastante simples, que n√£o envolve muito autocontrole ou sacrif√≠cio, mas que pode fazer uma diferen√ßa significativa.

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, que teve um dos estudos utilizados pela equipe de Washington, afirmam que o vínculo entre a obesidade e o cérebro vem crescendo como campo de pesquisa, e a ideia é que surjam novas formas de direcionar o tratamento da obesidade.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096