O problema da epidemia da obesidade que atinge mais de 18% da popula√ß√£o brasileira ser√° tema de mais um encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova. A reuni√£o √© aberta ao p√ļblico e gratuita, onde pacientes pr√© e p√≥s-operados, al√©m do p√ļblico em geral, ter√£o a oportunidade de ouvir informa√ß√Ķes e tirar d√ļvidas com os profissionais da cl√≠nica. Na ter√ßa-feira (28) o encontro vai ter como tema ‚ÄúAs expectativas no pr√©-operat√≥rio e quais os maiores desafios no p√≥s-operat√≥rio‚ÄĚ.

O bate papo vai ser comandado pelo m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes e sua equipe a nutricionista Michele Biff Citadin, a Psicanalista Ana Paula Gramacho, e o m√©dico Marcos Maffioletti. ‚ÄúProcuramos mostrar as experi√™ncias de cada paciente e dessa forma, evidenciar os cuidados que precisam ser tomados para se manter o peso. As reuni√Ķes com a equipe multidisciplinar t√™m esta importante fun√ß√£o. Os pacientes que depois de operados participam das reuni√Ķes tem os melhores resultados, j√° que dificilmente esquecer√£o das orienta√ß√Ķes necess√°rias‚ÄĚ, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes.

A reuni√£o vai ocorrer na Cl√≠nica MOVA, localizada na Rua Estev√£o Em√≠lio de Souza, 108, no bairro Pr√≥spera, em frente ao Hospital Unimed. Mais informa√ß√Ķes pelos telefones (48) 3439-4096 e WhatApp (48) 99177-4096.


A Cl√≠nica Mova, inaugurada em maio de 2013 √© hoje refer√™ncia em equipe mutidisciplinar na medicina da obesidade videocirurgia. A cl√≠nica foi pensada para oferecer servi√ßos de promo√ß√£o da sa√ļde e do bem-estar. Conta com programas e m√©todos especiais, infraestrutura diferenciada, al√©m de, uma equipe formada pelo seu diretor t√©cnico m√©dico, cirurgi√£o Dr. Leandro Avany Nunes (CRM 8308), o m√©dico gastroenterologista Dr. Michel Faraco, psic√≥loga, Ana Paula Gramacho, nutricionista, Michele Biff Citadine e o Dr. Marcos Maffioletti.

‚ÄúChega um momento na vida dos pacientes com obesidade ¬†em que dietas, medica√ß√Ķes e os tratamentos n√£o auxiliam da maneira devida. Ent√£o √© a√≠ que entra a cirurgia bari√°trica, ou seja, para pacientes que possuem o √ćndice de Massa Corp√≥rea (IMC) acima de 35, indicando-se o procedimento com uma equipe capacitada e multidisciplinar, incluindo cirurgi√Ķes, nutricionistas, psic√≥logos e que possam avaliar e auxiliar para a t√©cnica mais adequada para cada pessoa‚ÄĚ, pontua Dr. Leandro. O Conselho Federal de Medicina (CFM) indica que a cirurgia bari√°trica deve ser feita para pacientes com diagn√≥stico de obesidade m√≥rbida, que corresponde ao IMC acima de 40 ou pacientes com IMC a partir de 35, associado a comorbidades decorrentes da obesidade, como diabetes, hipertens√£o e atrofias.

A Cl√≠nica Mova est√° localizada em frente ao Hospital Unimed Crici√ļma e conta com um espa√ßo de 700 metros quadrados, tr√™s andares, seis consult√≥rios e um audit√≥rio para 70 pessoas. Mensalmente a cl√≠nica realiza reuni√Ķes com pacientes pr√© e p√≥s-operat√≥rios, onde s√£o a equipe multidisciplinar da Cl√≠nica discute temas relacionados √† obesidade, tira d√ļvidas e tamb√©m repassa informa√ß√Ķes sobre a cirurgia bari√°trica.


Sempre em busca de conhecimento, tecnologia e inova√ß√£o, os cirurgi√Ķes, Dr. Leandro Avany Nunes e Dr. Jos√© Jair Cardoso participando do XX Congresso Brasileiro de Cirurgia Bari√°trica e Metab√≥lica, em Curitiba. Aliando a experi√™ncia e a habilidade, Crici√ļma conta com estes dois profissionais que atuam na Cl√≠nica Mova, refer√™ncia na medicina da obesidade no Sul de Santa Catarina.


Hérnia é a protrusão (saliência ou abaulamento) de uma víscera ou órgão através de um buraco (abertura) na parede abdominal. Hérnia inguinal é quando ela (a hérnia) ocorre na região da virilha. A doença pode se manifestar em qualquer idade, embora seja mais comum em recém-nascidos (devido a um defeito congênito) ou em idosos, devido ao enfraquecimento dos ossos. O diagnóstico da hérnia inguinal pode ser obtido através de um exame físico na região da virilha ou através de uma ecografia.

A videocirurgia é hoje um dos recursos mais utilizados para o tratamento, devido aos benefícios diretos para o paciente e por ser menos invasiva. Para o pós-operatório, são indicadas dieta nutricional e prescrição medicamentosa. Dicas de não ficar muito tempo deitado ou sentado, andar várias vezes ao dia e retomar lentamente o ritmo de vida, também devem ser observadas.

‚ÄúA videocirurgia √© a op√ß√£o de tratamento mais recomendada e mais utilizada porque possibilita ao paciente retomar suas atividades habituais em menor tempo‚ÄĚ, explica o m√©dico cirurgi√£o, Dr. Leandro Avany Nunes.

Normalmente, quem possui hérnia inguinal é capaz de observar a saliência ou abaulamento na região da virilha, em um ou nos dois lados. A saliência fica mais evidente quando a pessoa tosse, levanta peso ou faz força. Também pode causar desconforto ou dor fraca. A complicação mais temida é o estrangulamento, quando o intestino fica preso dentro da hérnia, podendo sofrer até gangrena, senão tratada com urgência.

Atingindo cerca de 15% da popula√ß√£o, a doen√ßa √© mais comum em homens do que em mulheres, e as chances de adquirir podem aumentar ainda mais em trabalhadores bra√ßais ou em pacientes que apresentarem constipa√ß√£o intestinal cr√īnica, obesidade, tabagismo, doen√ßa da pr√≥stata ou pulm√£o, cora√ß√£o e f√≠gado.


O combate √† obesidade pode ser enfrentado de v√°rias formas, incluindo atividade f√≠sica regular e alimenta√ß√£o saud√°vel. Pacientes com dificuldades de perda de peso ou que j√° t√™m o quadro de obesidade contam com tratamentos que ajudam nesse processo, principalmente para pessoas que t√™m maior dificuldade para emagrecer. ‚ÄúComo outros procedimentos de perda de peso, o bal√£o intrag√°strico requer compromisso com um estilo de vida mais saud√°vel, incluindo mudan√ßas saud√°veis permanentes em sua dieta e a pr√°tica de exerc√≠cios f√≠sicos regularmente, que garantam a manuten√ß√£o do peso a longo prazo‚ÄĚ, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, diretor t√©cnico da Cl√≠nica Mova.

Confira o vídeo sobre o balão intragástrico:


O sobrepeso e a obesidade est√£o relacionados a uma s√©rie de problemas no organismo, como a hipertens√£o arterial, altera√ß√Ķes do colesterol e aumento do risco de desenvolver uma s√©rie de doen√ßas, entre elas o diabetes. De acordo com uma pesquisa do¬†Centro de Neuroci√™ncias Comportamentais da American University, em Washington, D.C., a condi√ß√£o tamb√©m pode ser ruim para o c√©rebro.

A descoberta se deu enquanto o a equipe¬†buscava informa√ß√Ķes sobre o hipocampo, uma parte do c√©rebro que est√° fortemente relacionada √† mem√≥ria. Ele tentava descobrir quais eram as atribui√ß√Ķes das diferentes partes do hipocampo. Um dos estudos, realizado com ratos, verificava o que ocorria ap√≥s danos espec√≠ficos no hipocampo.

Nesta etapa, notou-se que os ratos com danos no hipocampo procuravam alimentos com mais frequência do que os demais, mas comiam um pouco e logo deixavam a comida de lado.

A conclus√£o foi de¬†que esses ratos n√£o sabiam se estavam satisfeitos. Os pesquisadores acreditam que o¬†mesmo¬†possa acontecer em c√©rebros humanos, quando as pessoas mant√™m uma dieta rica em gordura e a√ß√ļcar.

A partir da√≠, eles cruzaram os resultados de outros estudos sobre o tema, e chegaram √† conclus√£o de que uma dieta rica em gorduras saturadas e a√ß√ļcares pode, sim, afetar regi√Ķes do c√©rebro importantes para a mem√≥ria.

Novos caminhos para o tratamento da obesidade

O entendimento de como a obesidade afeta o cérebro e a memória pode ser um grande caminho para evitar que as pessoas se tornem obesas.

Se a qualidade dos alimentos contidos na dieta das pessoas obesas pode causar preju√≠zos √† mem√≥ria e torn√°-las mais propensas a comer demais, ent√£o talvez fazer das refei√ß√Ķes mais marcantes possa ajudar a comer menos coisas ruins. Assistir televis√£o durante o almo√ßo, por exemplo, faz com que as pessoas se distraiam e acabem comendo mais. Tamb√©m aumenta a probabilidade de ter fome na parte da tarde e novamente comer excessivamente no jantar.

Evitar assistir televis√£o durante as refei√ß√Ķes, portanto, √© uma pequena mudan√ßa, bastante simples, que n√£o envolve muito autocontrole ou sacrif√≠cio, mas que pode fazer uma diferen√ßa significativa.

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, que teve um dos estudos utilizados pela equipe de Washington, afirmam que o vínculo entre a obesidade e o cérebro vem crescendo como campo de pesquisa, e a ideia é que surjam novas formas de direcionar o tratamento da obesidade.


Azia, queima√ß√£o e dor tor√°cica. Esses s√£o alguns dos sintomas do refluxo. Atualmente, a doen√ßa do refluxo gastroesof√°gico (DRGE), afeta cerca de 12% da popula√ß√£o, o que corresponde a aproximadamente 20 milh√Ķes de brasileiros. Mesmo fazendo parte da vida de um grande n√ļmero de pessoas, somente cerca de 30% dos pacientes afetados pela doen√ßa, procuram assist√™ncia m√©dica.

Causada por diversos fatores como a m√° alimenta√ß√£o, obesidade, diabetes, ansiedade, h√©rnia de hiato, tabagismo, alcoolismo e gravidez, a doen√ßa muitas vezes √© ignorada por seus portadores, que abusam das automedica√ß√Ķes, e n√£o se d√£o conta de que as complica√ß√Ķes ocasionadas pelo dist√ļrbio podem at√© ser fatais.

Prevenção

√Č poss√≠vel prevenir o refluxo combatendo a obesidade, o tabagismo, evitando refei√ß√Ķes volumosas e a ingest√£o de l√≠quidos durante as refei√ß√Ķes, principalmente gasosos.

H√° ainda a import√Ęncia de n√£o se deitar logo ap√≥s as refei√ß√Ķes, de evitar o √°lcool em excesso, principalmente √† noite, e n√£o consumir alimentos que propiciam o refluxo, como frituras e molhos gordurosos.

 

 


A obesidade √© um dos principais problemas de sa√ļde p√ļblica da sociedade moderna. Segundo a Pesquisa de Vigil√Ęncia de Fatores de Risco e Prote√ß√£o de Doen√ßas Cr√īnicas por Inqu√©rito Telef√īnico (Vigitel) e Minist√©rio da Sa√ļde (2017), √© uma doen√ßa que j√° afeta 18,9% dos brasileiros. J√° o sobrepeso atinge mais da metade da popula√ß√£o (54%).

Sem d√ļvida a mudan√ßa dos h√°bitos alimentares nas fam√≠lias √© um dos grandes motivadores dessa nova realidade, impactando diretamente na sa√ļde de adultos, jovens e crian√ßas. ‚ÄúO arroz e o feij√£o, por exemplo, n√£o s√£o mais unanimidade. H√° mais comidas industrializadas, mais fast food e menos consumo de comidas mais frescas‚ÄĚ, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, uma das refer√™ncias em cirurgia e tratamento da obesidade em Santa Catarina.

Os índices nacionais indicam que entre os jovens, a obesidade aumentou 110% entre 2007 e 2017. Esse índice foi quase o dobro da média nas demais faixas etárias (60%). O crescimento foi menor nas faixas de 45 a 54 anos (45%), 55 a 64 anos (26%) e acima de 65 anos (26%).

Para o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, apesar da relev√Ęncia dos fatores gen√©ticos no desenvolvimento da obesidade, essa situa√ß√£o pode ser evitada, a come√ßar pela educa√ß√£o das crian√ßas dentro de casa e na escola. ‚ÄúDeve-se optar sempre por refei√ß√Ķes e lanches saud√°veis e, de prefer√™ncia, n√£o comprar alimentos industrializados e ricos em gordura‚ÄĚ, completa.

Outros fatores que ajudam na prevenção da obesidade, além da alimentação saudável, rica em carnes magras, vegetais, frutas e massas integrais, deve-se manter a prática regular de exercícios físicos. Atividades como esportes coletivos, corrida, dança, caminhada e ciclismo, por exemplo, além de fazerem bem ao corpo, são fontes de prazer e socialização.

Op√ß√Ķes de tratamentos

A primeira op√ß√£o para se livrar do excesso de peso √© o chamado tratamento cl√≠nico. ‚ÄúNormalmente ap√≥s uma avalia√ß√£o de um m√©dico endocrinologista, exclu√≠das as causas cl√≠nicas, o mesmo dever√° propor ao paciente uma mudan√ßa na escolha alimentar, priorizando alimentos saud√°veis‚ÄĚ, conta Avany. Reorganizar os hor√°rios das refei√ß√Ķes, iniciar ou aumentar a pr√°tica de atividade f√≠sica, podendo em casos especiais propor o uso de medica√ß√£o que otimize a perda de peso e facilite as mudan√ßas comportamentais. ‚ÄúOs tratamentos devem objetivar o bem estar e a sa√ļde do indiv√≠duo, para diminui√ß√£o dos riscos de doen√ßas associadas. Embora, com frequ√™ncia, a obten√ß√£o de resultados est√©ticos fa√ßa parte das expectativas do paciente, esse n√£o √© o principal objetivo‚ÄĚ, acrescenta ele.

Cirurgias

Nos casos em que ocorre falha do tratamento cl√≠nico da obesidade e o mesmo se mostra ineficaz, o tratamento cir√ļrgico deve ser considerado. O m√©todo √© conhecido popularmente como “redu√ß√£o de est√īmago”, mas vai muito al√©m. Existem v√°rios m√©todos ou tipos de tratamentos dispon√≠veis, que devem ser aprovadas pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), para uso e pr√°tica cl√≠nica, cabendo ao m√©dico apresent√°-los ao paciente e recomendar o mais apropriado e seguro para cada caso.

Uma op√ß√£o √© o bal√£o intrag√°strico, um dispositivo de silicone que, ap√≥s bem posicionado no est√īmago por via endosc√≥pica e n√£o cir√ļrgica, √© insuflado com 400-700 ml (volume ajust√°vel) de soro fisiol√≥gico e contraste. √Č uma t√©cnica gastro-restritiva pura, indicada para pacientes com √ćndice de Massa Corporal (IMC) maior que 27 kg/ m2 (ou maior que 30 kg/m2 depende do fabricante).

‚ÄúProjetado para provocar uma sensa√ß√£o de saciedade precoce e diminuir a capacidade do reservat√≥rio g√°strico, diminui o consumo de alimentos e facilita a adapta√ß√£o a uma dieta hipocal√≥rica associada √† mudan√ßa comportamental‚ÄĚ, analisa Leandro Avany Nunes.

A cirurgia bari√°trica e metab√≥lica, tamb√©m conhecida como cirurgia da obesidade, ou, popularmente, redu√ß√£o de est√īmago, re√ļne t√©cnicas com respaldo cient√≠fico, destinadas ao tratamento da obesidade m√≥rbida e ou obesidade grave e das doen√ßas associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele.

A Cl√≠nica Mova, em Crici√ļma, oferece diversos tipos de tratamentos. Al√©m disso, todos os meses promove a reuni√£o do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica a pacientes pr√© e p√≥s-operados. O encontro √© gratuito e aberto a comunidade e √© um momento para troca de experi√™ncias e informa√ß√Ķes, com a participa√ß√£o de pacientes, m√©dicos, psic√≥logo, nutricionista e educador f√≠sico.


O Hamburguer é uma excelente fonte de proteínas, rico em fibras, vitaminas e minerais. Pode ser preprado assado ou grelhado. Vamos conferir a receita do Burger Funcional, preparada pela Nutricionista da Clinica Mova, Michele Biff.

Uma boa dica para o jantar. As op√ß√Ķes parabacompanhamento s√£o muitas. Salada, com um legume, pra quem tem recomenda√ß√£o de alimenta√ß√£o com baixo teor de carboidratos. Vai muito bem tamb√©m com arroz, feij√£o e salada, ou da forma tradicional, como sandu√≠che, usando um p√£o integral e maionese de abacate.

Essas varia√ß√Ķes dependem da necessidade de cada indiv√≠duo.

Receita de Burger funcional

Ingredientes

Р300g carne moída magra (patinho)

– 1 cenoura pequena ralada finamente

– ¬Ĺ cebola ralada ou picada bem pequena

Р50g de farelo de aveia (em torno  de 3 colheres de sopa  bem cheias)

– 1 colher de sopa cheia de chia

– Sal a gosto

– Pimenta do reino a gosto

– Noz moscada a gosto

– Tempero verde a gosto

Modo de preparo

Misturar muito bem todos os ingredientes. Deixar descansar num recipiente com tampa, na geladeira, por no m√≠nimo 10 minutos. Formar os hamb√ļrgueres e frigir numa frigideira untada com azeite de oliva. Voc√™ tamb√©m pode assar em forno pr√©-aquecido a 200¬įC em uma assadeira, se poss√≠vel¬† antiaderente, por aproximadamente 20 minutos.


O combate √† obesidade pode ser enfrentado de v√°rias formas, incluindo atividade f√≠sica regular e alimenta√ß√£o saud√°vel. Pacientes com dificuldades de perda de peso ou que j√° t√™m o quadro de obesidade contam com tratamentos que ajudam nesse processo, principalmente para pessoas que t√™m maior dificuldade para emagrecer. “Como outros procedimentos de perda de peso, o bal√£o intrag√°strico requer compromisso com um estilo de vida mais saud√°vel, incluindo mudan√ßas saud√°veis permanentes em sua dieta e a pr√°tica de exerc√≠cios f√≠sicos regularmente, que garantam a manuten√ß√£o do peso a longo prazo”, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, diretor t√©cnico da Cl√≠nica Mova.

Confira o vídeo sobre o balão intragástrico:

 

 


Conteúdo Relacionado

« P√°gina anteriorPr√≥xima p√°gina »

desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096