Com a chegada das festas de Natal e Ano Novo sempre rola aquela comidinha extra, não é mesmo?!
N√£o deixe de confraternizar com a sua fam√≠lia e amigos, mas sempre busque por op√ß√Ķes mais saud√°veis.

Confira a receita de uma Salada de quinoa com folhas verdes, maçã e frutas desidratadas desenvolvida pela nutricionista da Clínica Mova, Michele Biff Citadin.

INGREDIENTES 

  • 1/2 x√≠cara de quinoa em gr√£os
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva
  • 1 cebola roxa picada em cubos
  • 3 dentes de alho picados
  • salsinha a gosto
  • 1/2 lim√£o
  • 1 ma√ß√£ verde picada em cubos m√©dios (deixar em √°gua com lim√£o para n√£o escurecer)
  • 1/4 de x√≠cara de damasco seco picado em cubos m√©dios
  • 1/4 de x√≠cara de uva passa
  • 1/2 ma√ßo de r√ļcula ou alface (ou outra folha verde)
  • 1 colher de sobremesa de linha√ßa dourada
  • 1/2 x√≠cara de am√™ndoas torradas (forno a 180¬ļC por aproximadamente 5 minutos) em lascas

MODO DE PREPARO

Cozinhar a quinoa com a sal a gosto, com 1 xícara e meia de água por aproximadamente 15 minutos. Aquecer o azeite e refogar a cebola e o alho. Acrescentar a maçã em cubos (escorrer a água). Juntar à quinoa já cozida e misturar.

Acrescentar o suco de 1/2 lim√£o e mexer com fogo j√° desligado. Acrescentar o damasco, uva passa e salsinha picada. Em um prato para salada, forrar o fundo com as folhas de r√ļcula ou alface. Distribuir o preparo acima (ap√≥s esfriar) sobre as folhas de r√ļcula e, por √ļltimo, acrescentar a linha√ßa e a am√™ndoa em lascas. Regar com azeite de oliva.


As prioridades em rela√ß√£o a cirurgia bari√°trica foi o tema da √ļltima reuni√£o do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova, nessa ter√ßa-feira, 26. O encontro foi mediado pela nutricionista Michele Biff Citadin e a psicanalista Ana Paula Gramacho, que comp√Ķem a equipe multidisciplinar da cl√≠nica, comandada pelo m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes. Os encontros ocorrem mensalmente, de forma gratuita, e tem como objetivo reuniu pacientes pr√© e p√≥s-operados, al√©m do p√ļblico em geral.

Nessa √ļltima reuni√£o, as profissionais interagiram com o p√ļblico, conhecendo a realidade de cada participante e/ou paciente, al√©m de tirar d√ļvidas dos que estavam presentes. Uma das quest√Ķes levantadas foram os benef√≠cios alcan√ßados atrav√©s da cirurgia bari√°trica, o uso de suplementa√ß√£o, alimenta√ß√£o balanceada, pr√°tica peri√≥dica de atividades f√≠sicas, assim como as dificuldades individuais, que cada pessoa encontrou durante a adapta√ß√£o.

Essa reunião encerrou o ciclo de palestras deste ano, a próxima reunião do grupo será em 2020, sendo que a participação continuará sendo gratuita.


As mudan√ßas hormonais, gravidez e m√©todos contraceptivos no p√≥s-operat√≥rio foram tema de mais um encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova, nessa ter√ßa-feira, dia 29. A reuni√£o aberta ao p√ļblico e gratuita, foi comandada pelo m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes e contou com a palestra da ginecologista e obstetra, Luciana Isolde Nunes e a presen√ßa da nutricionista Michele Biff Citadin e a psic√≥loga Ana Paula Gramacho.

Durante o encontro √© promovido uma importante troca de experi√™ncias onde as d√ļvidas dos participantes podem ser solucionadas pela equipe multidisciplinar da Cl√≠nica Mova.
A pr√≥xima reuni√£o ser√° realizada na √ļltima ter√ßa-feira de novembro, na Cl√≠nica Mova, localizada na Rua Estev√£o Em√≠lio de Souza, 108, no bairro Pr√≥spera, em frente ao Hospital Unimed.

Mais informa√ß√Ķes sobre a iniciativa podem ser obtidas pelos telefones (48) 3439-4096 e WhatsApp (48) 99177-4096.

  


A obesidade n√£o √© mais considerada um problema est√©tico, causado por excessos e falta de autocontrole. A Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde (OMS), juntamente com as sociedades m√©dicas e cient√≠ficas internacionais, reconhecem a obesidade como uma cr√īnica progressiva doen√ßa resultante de m√ļltiplos fatores ambientais e gen√©ticos.
A doen√ßa da obesidade √© extremamente cara, n√£o apenas em termos econ√īmicos, mas tamb√©m em termos de sa√ļde individual e social, longevidade e bem-estar psicol√≥gico. Devido √† sua natureza progressiva, a obesidade requer tratamento e controle por toda a vida.
Segundo a OMS, 65% da popula√ß√£o mundial vive em pa√≠ses onde o excesso de peso e a obesidade matam mais pessoas que o baixo peso. Aproximadamente 500 milh√Ķes de adultos no mundo s√£o afetados pela obesidade e um bilh√£o s√£o afetados pelo excesso de peso, juntamente com 48 milh√Ķes de crian√ßas.
V√°rios fatores que atuam em um contexto gen√©tico causam ganho de peso e obesidade. As condi√ß√Ķes associadas ao ganho de peso e √†s mudan√ßas biol√≥gicas no corpo que ocorrem como resultado contribuem para a progress√£o da doen√ßa, geralmente prendendo o indiv√≠duo em um ciclo vicioso. Se voc√™ estiver preocupado com seu peso √© fundamental a procura por profissionais que possam orientar sobre procedimentos e tratamentos, como a cirurgia bari√°trica.

Sempre aliada a um tratamento multiprofissional, que une m√©dicos, psic√≥logos, nutricionistas e profissionais de educa√ß√£o f√≠sica, a cirurgia bari√°trica atua como uma ferramenta eficaz para fornecer a perda de peso a longo prazo e aumentar a qualidade da sa√ļde. A cirurgia bari√°trica tamb√©m √© indicada para redu√ß√£o de problemas relacionados √† obesidade, como diabetes tipo 2, press√£o alta, doen√ßas card√≠acas e muito mais. Freq√ľentemente, os indiv√≠duos que melhoram seu peso tomam cada vez menos medicamentos para tratar suas condi√ß√Ķes relacionadas √† obesidade.

A perda significativa de peso atrav√©s de cirurgia bari√°trica tamb√©m pode abrir caminho para muitas outras oportunidades interessantes para voc√™, sua fam√≠lia e, o mais importante, sua sa√ļde.


As dicas de como manter o peso e os principais desafios enfrentados no pr√© e p√≥s-operat√≥rios foram os principais temas detalhados no √ļltimo encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova. A iniciativa que ocorreu na noite da ter√ßa-feira, dia 24, contou com a apresenta√ß√£o do m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes e da equipe multidisciplinar composta pela nutricionista Michele Biff Citadin e a psicanalista Ana Paula Gramacho.

√Č importante ressaltar que a obesidade pode ser mais eficazmente combatida aliando-se diferentes frentes de tratamento. Embora muitos acreditem que apenas a cirurgia bari√°trica ir√° resolver o problema, √© necess√°rio um trabalho em conjunto de nutricionistas, psic√≥logos, cirurgi√Ķes e preparadores f√≠sicos para que n√£o aconte√ßa o reganho de peso.

O trabalho do Psic√≥logo em preparar o paciente para as transforma√ß√Ķes emocionais que a opera√ß√£o vai acarretar antes e ap√≥s o tratamento. J√° o¬†acompanhamento do profissional de Nutri√ß√£o e educador f√≠sico tamb√©m √© fundamental, antes e depois da opera√ß√£o. Todo esse trabalho segue¬†no p√≥s-operat√≥rio, com o acompanhamento t√©cnico da cirurgia e a continua√ß√£o de exerc√≠cios f√≠sicos e reposi√ß√Ķes vitam√≠nicas para cada paciente. Todas essas a√ß√Ķes v√£o permitir que o paciente n√£o tenha seu peso aumentado novamente. Ao longo de todo o processo de prepara√ß√£o e ap√≥s a cirurgia, √© importante que o paciente e seus familiares tenham em mente que a cirurgia bari√°trica √© apenas o in√≠cio do tratamento e que, se os fatores que levaram o paciente √† obesidade m√≥rbida n√£o forem modificados, por ele mesmo, com o apoio da equipe multidisciplinar, existe o risco de reganho de peso e que o tratamento n√£o termina com a cirurgia.

A próxima reunião do grupo será realizada em outubro e a participação é gratuita.

 


Ingredientes:

– 3 colheres de sopa de gengibre em lascas

– 2 colheres de sopa de mel

– suco de ¬Ĺ lim√£o

– 2 dentes de alho

Р1 dedo de cachaça

Р2 xícaras de água

Modo de preparo:

Ferver por 15 minutos a água, o gengibre, mel e cachaça, após desligue e adicione o suco de limão e os 2 dentes de alho macerados, deixe abafado por 5 minutos e tome em seguida.

MICHELE BIFF CITADIN

NUTRICIONISTA

CRN 1243


Ingredientes:

– 3 ovos

Р1 xícara de farinha de amêndoas

Р1 xícara de farinha de coco

– 2 colheres de sopa de xilitol (ou a√ß√ļcar demerara)

Р3 colheres de sopa de cacau em pó

Р4 colheres de sopa de óleo de coco

– 1 colher de sopa de fermento

– 1 pitada de sal

Р1 xícara de leite de coco

– gotas de chocolate 70% cacau

 

Modo de preparo:

Misture bem os ingredientes secos e depois acrescente os ovos, o √≥leo e o leite de coco. Por √ļltimo o fermento. Distribua a massa em forminhas de cupcake (ou em uma assadeira) untadas com √≥leo de coco. Coloque as gotas de chocolate por cima e leve ao forno pr√©-aquecido a 180 graus por aproximadamente 30 a 40 minutos.


Qual o custo de uma cirurgia bari√°trica? E os riscos que os pacientes correm? Quando e quem deve fazer lipoaspira√ß√£o? Quem respondeu estas e outras d√ļvidas sobre as cirurgias bari√°tricas e pl√°sticas foi o Dr. Luciano Sch√ľtz, que falou sobre o assunto durante o √ļltimo encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica. A reuni√£o ocorreu na √ļltima ter√ßa-feira (25), na Cl√≠nica Mova, que promove o evento.

Aproximadamente 50 pacientes bariátricos pré e pós-operados, bem como interessados pelo assunto, participaram da reunião, comandada pelo cirurgião Dr. Leandro Avany Nunes. Também participaram da reunião a Psicanalista da Clínica Mova, Ana Paula Gramacho, e a Nutricionista da Clínica Mova, Michele Biff Citadin.

O time de profissionais guiou os presentes durante a conversa com o Dr. Luciano Sch√ľtz, que tratou de sanar os questionamentos dos pacientes. ‚ÄúMuita gente tem d√ļvidas sobre as cirurgias bari√°tricas e pl√°sticas. Por isso, √© importante que se discuta o assunto, direcionando pacientes para o tratamento m√©dico adequado para cada um dos casos individuais‚ÄĚ, apontou Sch√ľtz.

Ao final da reuni√£o, a nutricionista da Cl√≠nica Mova, Michele Biff Citadin, compartilhou uma receita especial de carne e legumes com os presentes.¬† O encerramento do encontro tamb√©m contou com o sorteio de duas cestas de alimentos saud√°veis para os presentes. As reuni√Ķes, que ocorrem na √ļltima ter√ßa-feira de cada m√™s, s√£o abertas ao p√ļblico em geral que se interessa pelo tema. O pr√≥ximo encontro ocorre no dia 30 de julho na Cl√≠nica MOVA, localizada na Rua Estev√£o Em√≠lio de Souza, 108, no bairro Pr√≥spera, em frente ao Hospital Unimed. Mais informa√ß√Ķes pelos telefones (48) 3439-4096 e WhatsApp (48) 99177-4096.


A obesidade e o sobrepeso s√£o um mal que atinge muitos brasileiros. Segundo a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) no Brasil 1 a cada 2 pessoas est√£o acima do peso e 17% dos brasileiros s√£o obesos. O Bal√£o Intrag√°strico √© uma alternativa para quem deseja perder peso. Mas para que o tratamento tenha efic√°cia √© necess√°ria uma mudan√ßa de h√°bitos por parte do paciente. Dados mostram que a cada 100 pacientes que colocam o bal√£o, 47% recuperam o peso ap√≥s um ano da retirada do bal√£o, dos pacientes que conseguem emagrecer.

√Č por isso que a Clinica Mova conta com uma equipe mutidisciplinar para que o tratamento seja cont√≠nuo. Fazem parte o m√©dico gastroenterologista Dr. Michel Faraco, psic√≥loga, Ana Paula Gramacho, nutricionista, Michele Biff Citadine e o Dr. Marcos Maffioletti. Al√©m do diretor t√©cnico m√©dico, cirurgi√£o Dr. Leandro Avany Nunes (CRM 8308). ‚ÄúO bal√£o s√≥ vai funcionar se o paciente mudar seus h√°bitos alimentares e praticar atividade f√≠sica. O bal√£o ocupa metade do est√īmago do paciente, mas ele s√≥ fica seis meses, depois tem que retirar‚ÄĚ, explica o Dr. Leandro.

O Bal√£o Intrag√°strico possui vantagem por n√£o necessitar cirurgia, o que torna o tratamento mais r√°pido e seguro. A t√©cnica faz a introdu√ß√£o de uma pr√≥tese de silicone no est√īmago, introduzido por meio de uma sonda endosc√≥pica, que depois ser√° preenchida com l√≠quido. Considerado um tratamento de interven√ß√£o, a retirada assim como sua coloca√ß√£o se faz por meio de uma endoscopia. Geralmente com seda√ß√£o assistida por um anestesista, visando √† seguran√ßa e o conforto do paciente.


Voc√™ sabe o que s√£o considerados transtornos alimentares? No domingo, dia 2 de junho, √© lembrado o Dia Internacional da Conscientiza√ß√£o dos Transtornos Alimentares. E, para solucionar algumas d√ļvidas sobre o assunto, pedimos o aux√≠lio da psicanalista da Cl√≠nica Mova, Ana Paula Gramacho.

 

 

O que podem ser considerados transtornos alimentares?

Transtornos alimentares são transtornos psíquicos: bulimia, anorexia, compulsão alimentar, ortorexia (alimentação saudável), pica (comer objetos) e ruminação (regurgitar). Muitas vezes são sintomas escondidos o que dificulta a descoberta da doença por um familiar e o pedido de ajuda.

Com que idade é mais comum o surgimento de transtornos alimentares?

A adolesc√™ncia √© uma √©poca onde o corpo passa a ter um estatuto diferente, ou seja, √© preciso agora significar o corpo de outra forma a partir das rela√ß√Ķes com meu igual (mesma idade) onde o desejo passa a circular diferentemente da inf√Ęncia, fazendo desta fase a mais comum para desenvolvimento de tais sintomas alimentares. Por√©m, podem surgir tamb√©m como consequ√™ncia de outros fatores como a cirurgia bari√°trica. Neste o corpo tamb√©m muda, por√©m n√£o h√° como garantir a mudan√ßa de uma compuls√£o j√° previamente existente. Na inf√Ęncia tamb√©m √© poss√≠vel a forma√ß√£o de tais sintomas alimentares, como resposta a algo que a crian√ßa n√£o est√° conseguindo lidar.

Esse dist√ļrbio √© mais comum no sexo feminino? Por qu√™?

Sim, h√° uma preval√™ncia para o sexo feminino, por√©m tamb√©m ocorre com o sexo masculino. Muitas s√£o as discuss√Ķes e levantamentos cl√≠nicos e de pesquisa quanto a isso. Podemos partir do princ√≠pio que a cultura, o meio social, participa das novas forma√ß√Ķes de sintomas de tempos em tempos. Isto devido √† exig√™ncia de cada √©poca, da forma de viver e se relacionar, do que √© tabu e o que √© permitido. Por exemplo, j√° tivemos √©poca em que a anorexia no mundo da moda era algo visado, havendo uma exig√™ncia para al√©m da sa√ļde levando a riscos importantes, como risco de morte. A partir disso, criou-se uma ‘regra’ para que as modelos pudessem ficar em determinado peso, dentro dos par√Ęmetros de sa√ļde, caso contr√°rio n√£o seriam contratadas. Bom, a exig√™ncia com o corpo feminino sempre esteve mais acentuado em nossa cultura, corpo enquanto aquilo que entra num ideal para o outro, assim a complexidade da exig√™ncia no social vai se entrela√ßando com a complexidade individual.

Qual a melhor forma de tratar esse dist√ļrbio?

Para Psican√°lise, ci√™ncia que desde Freud lida com anorexia e graves adoecimentos por conta do funcionamento ps√≠quico, no tratamento √© imprescind√≠vel uma equipe interdisciplinar que fale a mesma l√≠ngua. Que tenha o entendimento do sintoma n√£o somente como algo externo, mas que coloque o sujeito como participante ativo de sua dificuldade, porque sem isso fica praticamente imposs√≠vel despertar o desejo do paciente por apresentar melhoras. Tratar somente o sintoma sem que o paciente esteja implicado √© uma medida paliativa que acaba por fazer retornar o sintoma, √© apenas uma quest√£o de tempo. No caso de anorexia grave, onde h√° necessidade de interna√ß√£o √© necess√°rio que haja seguimento de psicoterapia, ou seja, que tenha preservado o espa√ßo para a fala e as interven√ß√Ķes na fala, abrindo assim uma possibilidade de mudan√ßa, caso contr√°rio, a paciente somente adormece para depois retornar com seus sintomas.

Qual a import√Ęncia do Dia Internacional da Conscientiza√ß√£o dos Transtornos Alimentares?

Esta foi uma conquista a partir da construção no social quanto a possibilidade de falar dos males que acometem qualquer ser humano. Portanto, é preciso aproveitar o dia que marca tal transtorno como um convite para pensar e repensar suas causas, desenvolvimento e consequências. O dia é como um marco, uma lembrança de que temos muito a fazer, a trabalhar e a ajudar, e para isso temos os outros 364 dias. Muitas vezes a população não tem ideia do que é um transtorno alimentar e a gravidade deste, assim como não tem também a ideia da frequencia que isso acontece. Nós, na clínica psicanalítica, somos testemunhas da gravidade destes tipos de sofrimentos. A informação é sempre muito importante para tocar o olhar de cada um que, muitas vezes, passa a identificar um sintoma familiar ali onde parecia algo comum, e pode assim oferecer ajuda.

 


« P√°gina anteriorPr√≥xima p√°gina »

desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096