As mudan√ßas hormonais, gravidez e m√©todos contraceptivos no p√≥s-operat√≥rio foram tema de mais um encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova, nessa ter√ßa-feira, dia 29. A reuni√£o aberta ao p√ļblico e gratuita, foi comandada pelo m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes e contou com a palestra da ginecologista e obstetra, Luciana Isolde Nunes e a presen√ßa da nutricionista Michele Biff Citadin e a psic√≥loga Ana Paula Gramacho.

Durante o encontro √© promovido uma importante troca de experi√™ncias onde as d√ļvidas dos participantes podem ser solucionadas pela equipe multidisciplinar da Cl√≠nica Mova.
A pr√≥xima reuni√£o ser√° realizada na √ļltima ter√ßa-feira de novembro, na Cl√≠nica Mova, localizada na Rua Estev√£o Em√≠lio de Souza, 108, no bairro Pr√≥spera, em frente ao Hospital Unimed.

Mais informa√ß√Ķes sobre a iniciativa podem ser obtidas pelos telefones (48) 3439-4096 e WhatsApp (48) 99177-4096.

  


A obesidade n√£o √© mais considerada um problema est√©tico, causado por excessos e falta de autocontrole. A Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde (OMS), juntamente com as sociedades m√©dicas e cient√≠ficas internacionais, reconhecem a obesidade como uma cr√īnica progressiva doen√ßa resultante de m√ļltiplos fatores ambientais e gen√©ticos.
A doen√ßa da obesidade √© extremamente cara, n√£o apenas em termos econ√īmicos, mas tamb√©m em termos de sa√ļde individual e social, longevidade e bem-estar psicol√≥gico. Devido √† sua natureza progressiva, a obesidade requer tratamento e controle por toda a vida.
Segundo a OMS, 65% da popula√ß√£o mundial vive em pa√≠ses onde o excesso de peso e a obesidade matam mais pessoas que o baixo peso. Aproximadamente 500 milh√Ķes de adultos no mundo s√£o afetados pela obesidade e um bilh√£o s√£o afetados pelo excesso de peso, juntamente com 48 milh√Ķes de crian√ßas.
V√°rios fatores que atuam em um contexto gen√©tico causam ganho de peso e obesidade. As condi√ß√Ķes associadas ao ganho de peso e √†s mudan√ßas biol√≥gicas no corpo que ocorrem como resultado contribuem para a progress√£o da doen√ßa, geralmente prendendo o indiv√≠duo em um ciclo vicioso. Se voc√™ estiver preocupado com seu peso √© fundamental a procura por profissionais que possam orientar sobre procedimentos e tratamentos, como a cirurgia bari√°trica.

Sempre aliada a um tratamento multiprofissional, que une m√©dicos, psic√≥logos, nutricionistas e profissionais de educa√ß√£o f√≠sica, a cirurgia bari√°trica atua como uma ferramenta eficaz para fornecer a perda de peso a longo prazo e aumentar a qualidade da sa√ļde. A cirurgia bari√°trica tamb√©m √© indicada para redu√ß√£o de problemas relacionados √† obesidade, como diabetes tipo 2, press√£o alta, doen√ßas card√≠acas e muito mais. Freq√ľentemente, os indiv√≠duos que melhoram seu peso tomam cada vez menos medicamentos para tratar suas condi√ß√Ķes relacionadas √† obesidade.

A perda significativa de peso atrav√©s de cirurgia bari√°trica tamb√©m pode abrir caminho para muitas outras oportunidades interessantes para voc√™, sua fam√≠lia e, o mais importante, sua sa√ļde.


As dicas de como manter o peso e os principais desafios enfrentados no pr√© e p√≥s-operat√≥rios foram os principais temas detalhados no √ļltimo encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova. A iniciativa que ocorreu na noite da ter√ßa-feira, dia 24, contou com a apresenta√ß√£o do m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes e da equipe multidisciplinar composta pela nutricionista Michele Biff Citadin e a psicanalista Ana Paula Gramacho.

√Č importante ressaltar que a obesidade pode ser mais eficazmente combatida aliando-se diferentes frentes de tratamento. Embora muitos acreditem que apenas a cirurgia bari√°trica ir√° resolver o problema, √© necess√°rio um trabalho em conjunto de nutricionistas, psic√≥logos, cirurgi√Ķes e preparadores f√≠sicos para que n√£o aconte√ßa o reganho de peso.

O trabalho do Psic√≥logo em preparar o paciente para as transforma√ß√Ķes emocionais que a opera√ß√£o vai acarretar antes e ap√≥s o tratamento. J√° o¬†acompanhamento do profissional de Nutri√ß√£o e educador f√≠sico tamb√©m √© fundamental, antes e depois da opera√ß√£o. Todo esse trabalho segue¬†no p√≥s-operat√≥rio, com o acompanhamento t√©cnico da cirurgia e a continua√ß√£o de exerc√≠cios f√≠sicos e reposi√ß√Ķes vitam√≠nicas para cada paciente. Todas essas a√ß√Ķes v√£o permitir que o paciente n√£o tenha seu peso aumentado novamente. Ao longo de todo o processo de prepara√ß√£o e ap√≥s a cirurgia, √© importante que o paciente e seus familiares tenham em mente que a cirurgia bari√°trica √© apenas o in√≠cio do tratamento e que, se os fatores que levaram o paciente √† obesidade m√≥rbida n√£o forem modificados, por ele mesmo, com o apoio da equipe multidisciplinar, existe o risco de reganho de peso e que o tratamento n√£o termina com a cirurgia.

A próxima reunião do grupo será realizada em outubro e a participação é gratuita.

 


Ingredientes:

– 3 colheres de sopa de gengibre em lascas

– 2 colheres de sopa de mel

– suco de ¬Ĺ lim√£o

– 2 dentes de alho

Р1 dedo de cachaça

Р2 xícaras de água

Modo de preparo:

Ferver por 15 minutos a água, o gengibre, mel e cachaça, após desligue e adicione o suco de limão e os 2 dentes de alho macerados, deixe abafado por 5 minutos e tome em seguida.

MICHELE BIFF CITADIN

NUTRICIONISTA

CRN 1243


Ingredientes:

– 3 ovos

Р1 xícara de farinha de amêndoas

Р1 xícara de farinha de coco

– 2 colheres de sopa de xilitol (ou a√ß√ļcar demerara)

Р3 colheres de sopa de cacau em pó

Р4 colheres de sopa de óleo de coco

– 1 colher de sopa de fermento

– 1 pitada de sal

Р1 xícara de leite de coco

– gotas de chocolate 70% cacau

 

Modo de preparo:

Misture bem os ingredientes secos e depois acrescente os ovos, o √≥leo e o leite de coco. Por √ļltimo o fermento. Distribua a massa em forminhas de cupcake (ou em uma assadeira) untadas com √≥leo de coco. Coloque as gotas de chocolate por cima e leve ao forno pr√©-aquecido a 180 graus por aproximadamente 30 a 40 minutos.


Qual o custo de uma cirurgia bari√°trica? E os riscos que os pacientes correm? Quando e quem deve fazer lipoaspira√ß√£o? Quem respondeu estas e outras d√ļvidas sobre as cirurgias bari√°tricas e pl√°sticas foi o Dr. Luciano Sch√ľtz, que falou sobre o assunto durante o √ļltimo encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica. A reuni√£o ocorreu na √ļltima ter√ßa-feira (25), na Cl√≠nica Mova, que promove o evento.

Aproximadamente 50 pacientes bariátricos pré e pós-operados, bem como interessados pelo assunto, participaram da reunião, comandada pelo cirurgião Dr. Leandro Avany Nunes. Também participaram da reunião a Psicanalista da Clínica Mova, Ana Paula Gramacho, e a Nutricionista da Clínica Mova, Michele Biff Citadin.

O time de profissionais guiou os presentes durante a conversa com o Dr. Luciano Sch√ľtz, que tratou de sanar os questionamentos dos pacientes. ‚ÄúMuita gente tem d√ļvidas sobre as cirurgias bari√°tricas e pl√°sticas. Por isso, √© importante que se discuta o assunto, direcionando pacientes para o tratamento m√©dico adequado para cada um dos casos individuais‚ÄĚ, apontou Sch√ľtz.

Ao final da reuni√£o, a nutricionista da Cl√≠nica Mova, Michele Biff Citadin, compartilhou uma receita especial de carne e legumes com os presentes.¬† O encerramento do encontro tamb√©m contou com o sorteio de duas cestas de alimentos saud√°veis para os presentes. As reuni√Ķes, que ocorrem na √ļltima ter√ßa-feira de cada m√™s, s√£o abertas ao p√ļblico em geral que se interessa pelo tema. O pr√≥ximo encontro ocorre no dia 30 de julho na Cl√≠nica MOVA, localizada na Rua Estev√£o Em√≠lio de Souza, 108, no bairro Pr√≥spera, em frente ao Hospital Unimed. Mais informa√ß√Ķes pelos telefones (48) 3439-4096 e WhatsApp (48) 99177-4096.


A obesidade e o sobrepeso s√£o um mal que atinge muitos brasileiros. Segundo a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS) no Brasil 1 a cada 2 pessoas est√£o acima do peso e 17% dos brasileiros s√£o obesos. O Bal√£o Intrag√°strico √© uma alternativa para quem deseja perder peso. Mas para que o tratamento tenha efic√°cia √© necess√°ria uma mudan√ßa de h√°bitos por parte do paciente. Dados mostram que a cada 100 pacientes que colocam o bal√£o, 47% recuperam o peso ap√≥s um ano da retirada do bal√£o, dos pacientes que conseguem emagrecer.

√Č por isso que a Clinica Mova conta com uma equipe mutidisciplinar para que o tratamento seja cont√≠nuo. Fazem parte o m√©dico gastroenterologista Dr. Michel Faraco, psic√≥loga, Ana Paula Gramacho, nutricionista, Michele Biff Citadine e o Dr. Marcos Maffioletti. Al√©m do diretor t√©cnico m√©dico, cirurgi√£o Dr. Leandro Avany Nunes (CRM 8308). ‚ÄúO bal√£o s√≥ vai funcionar se o paciente mudar seus h√°bitos alimentares e praticar atividade f√≠sica. O bal√£o ocupa metade do est√īmago do paciente, mas ele s√≥ fica seis meses, depois tem que retirar‚ÄĚ, explica o Dr. Leandro.

O Bal√£o Intrag√°strico possui vantagem por n√£o necessitar cirurgia, o que torna o tratamento mais r√°pido e seguro. A t√©cnica faz a introdu√ß√£o de uma pr√≥tese de silicone no est√īmago, introduzido por meio de uma sonda endosc√≥pica, que depois ser√° preenchida com l√≠quido. Considerado um tratamento de interven√ß√£o, a retirada assim como sua coloca√ß√£o se faz por meio de uma endoscopia. Geralmente com seda√ß√£o assistida por um anestesista, visando √† seguran√ßa e o conforto do paciente.


Voc√™ sabe o que s√£o considerados transtornos alimentares? No domingo, dia 2 de junho, √© lembrado o Dia Internacional da Conscientiza√ß√£o dos Transtornos Alimentares. E, para solucionar algumas d√ļvidas sobre o assunto, pedimos o aux√≠lio da psicanalista da Cl√≠nica Mova, Ana Paula Gramacho.

 

 

O que podem ser considerados transtornos alimentares?

Transtornos alimentares são transtornos psíquicos: bulimia, anorexia, compulsão alimentar, ortorexia (alimentação saudável), pica (comer objetos) e ruminação (regurgitar). Muitas vezes são sintomas escondidos o que dificulta a descoberta da doença por um familiar e o pedido de ajuda.

Com que idade é mais comum o surgimento de transtornos alimentares?

A adolesc√™ncia √© uma √©poca onde o corpo passa a ter um estatuto diferente, ou seja, √© preciso agora significar o corpo de outra forma a partir das rela√ß√Ķes com meu igual (mesma idade) onde o desejo passa a circular diferentemente da inf√Ęncia, fazendo desta fase a mais comum para desenvolvimento de tais sintomas alimentares. Por√©m, podem surgir tamb√©m como consequ√™ncia de outros fatores como a cirurgia bari√°trica. Neste o corpo tamb√©m muda, por√©m n√£o h√° como garantir a mudan√ßa de uma compuls√£o j√° previamente existente. Na inf√Ęncia tamb√©m √© poss√≠vel a forma√ß√£o de tais sintomas alimentares, como resposta a algo que a crian√ßa n√£o est√° conseguindo lidar.

Esse dist√ļrbio √© mais comum no sexo feminino? Por qu√™?

Sim, h√° uma preval√™ncia para o sexo feminino, por√©m tamb√©m ocorre com o sexo masculino. Muitas s√£o as discuss√Ķes e levantamentos cl√≠nicos e de pesquisa quanto a isso. Podemos partir do princ√≠pio que a cultura, o meio social, participa das novas forma√ß√Ķes de sintomas de tempos em tempos. Isto devido √† exig√™ncia de cada √©poca, da forma de viver e se relacionar, do que √© tabu e o que √© permitido. Por exemplo, j√° tivemos √©poca em que a anorexia no mundo da moda era algo visado, havendo uma exig√™ncia para al√©m da sa√ļde levando a riscos importantes, como risco de morte. A partir disso, criou-se uma ‘regra’ para que as modelos pudessem ficar em determinado peso, dentro dos par√Ęmetros de sa√ļde, caso contr√°rio n√£o seriam contratadas. Bom, a exig√™ncia com o corpo feminino sempre esteve mais acentuado em nossa cultura, corpo enquanto aquilo que entra num ideal para o outro, assim a complexidade da exig√™ncia no social vai se entrela√ßando com a complexidade individual.

Qual a melhor forma de tratar esse dist√ļrbio?

Para Psican√°lise, ci√™ncia que desde Freud lida com anorexia e graves adoecimentos por conta do funcionamento ps√≠quico, no tratamento √© imprescind√≠vel uma equipe interdisciplinar que fale a mesma l√≠ngua. Que tenha o entendimento do sintoma n√£o somente como algo externo, mas que coloque o sujeito como participante ativo de sua dificuldade, porque sem isso fica praticamente imposs√≠vel despertar o desejo do paciente por apresentar melhoras. Tratar somente o sintoma sem que o paciente esteja implicado √© uma medida paliativa que acaba por fazer retornar o sintoma, √© apenas uma quest√£o de tempo. No caso de anorexia grave, onde h√° necessidade de interna√ß√£o √© necess√°rio que haja seguimento de psicoterapia, ou seja, que tenha preservado o espa√ßo para a fala e as interven√ß√Ķes na fala, abrindo assim uma possibilidade de mudan√ßa, caso contr√°rio, a paciente somente adormece para depois retornar com seus sintomas.

Qual a import√Ęncia do Dia Internacional da Conscientiza√ß√£o dos Transtornos Alimentares?

Esta foi uma conquista a partir da construção no social quanto a possibilidade de falar dos males que acometem qualquer ser humano. Portanto, é preciso aproveitar o dia que marca tal transtorno como um convite para pensar e repensar suas causas, desenvolvimento e consequências. O dia é como um marco, uma lembrança de que temos muito a fazer, a trabalhar e a ajudar, e para isso temos os outros 364 dias. Muitas vezes a população não tem ideia do que é um transtorno alimentar e a gravidade deste, assim como não tem também a ideia da frequencia que isso acontece. Nós, na clínica psicanalítica, somos testemunhas da gravidade destes tipos de sofrimentos. A informação é sempre muito importante para tocar o olhar de cada um que, muitas vezes, passa a identificar um sintoma familiar ali onde parecia algo comum, e pode assim oferecer ajuda.

 


Existem v√°rias maneiras de se tratar a obesidade e o sobrepeso. O Bal√£o Intrag√°strico √© hoje um dos recursos mais utilizados para a perda do sobrepeso e tamb√©m para redu√ß√£o de peso antes da cirurgia bari√°trica. Uma das vantagens desse m√©todo √© que n√£o necessita cirurgia, o que torna o tratamento mais r√°pido e seguro. A t√©cnica faz a introdu√ß√£o de uma pr√≥tese de silicone no est√īmago, introduzido por meio de uma sonda endosc√≥pica, que depois ser√° preenchida com l√≠quido. Considerado um tratamento de interven√ß√£o, o bal√£o dever√° permanecer no est√īmago no per√≠odo de quatro a seis meses. Ap√≥s a coloca√ß√£o do bal√£o o paciente tem acompanhamento multidisciplinar no per√≠odo de nove meses, tempo m√°ximo desse tipo de tratamento. A Cl√≠nica Mova √© uma pioneira na utiliza√ß√£o desta t√©cnica no sul de Santa Catarina, com centenas de pacientes com excelentes resultados.

‚Äú√Č uma forma menos agressiva e que engloba todas as pessoas que desejam perder peso. Na regra de hoje a gente utiliza como linha de corte o √ćndice de Massa Corp√≥rea (IMC) acima de 27. Os resultados s√£o muito bons principalmente para os paciente que tem sobrepeso ou obesidade grau 1‚ÄĚ, explica o m√©dico cirurgi√£o, Dr. Leandro Avany Nunes.

Entendendo o funcionamento

Existem dois tipos de Bal√£o Intrag√°strico dispon√≠veis. Os que s√£o insuflados com ar e os que s√£o insuflados com uma solu√ß√£o de soro fisiol√≥gico e azul de metileno est√©reis, com volume que varia de 400 a 700 ml, dependendo do tamanho da c√Ęmara g√°strica, da idade do paciente, estatura e sexo.

Postula-se que aquele insuflado com ar causa menos desconforto por ser mais leve, mas apresenta maior dificuldade na sua retirada e também não existem meios de se diagnosticar precocemente se ele apresentar vazamentos. Este fato não ocorre com os que são preenchidos com a solução de soro fisiológico e azul de metileno, já que este líquido será absorvido pelo organismo, sem causar-lhe prejuízos, e mudará a cor da urina, alertando o paciente.

A retirada, assim como sua colocação se faz por meio de uma endoscopia, geralmente com sedação assistida por um anestesista, visando à segurança e o conforto do paciente. O tempo médio de procedimento não ultrapassa, na maioria das vezes, 10 a 15 minutos. Após sua retirada, se necessário ou desejado, o paciente poderá discutir com o médico a colocação de outro balão.


Na reuni√£o do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica a nutricionista da Cl√≠nica Mova, Michele Biff Citadin, distribuiu uma receita de ‚ÄėPanqueca salgada de aveia recheada com frango‚Äô. Segundo ela a receita √© uma boa fonte de fibras, j√° que cont√©m aveia e ainda alface e r√ļcula. ‚ÄúAl√©m disso, fornece um bom aporte prot√©ico j√° que o recheio pode ser feito com frango ou carne mo√≠da‚ÄĚ, completa. √Č uma √≥tima op√ß√£o para v√°rias horas do dia, caf√© da manh√£, lanche ou jantar.¬†Confira a receita:

Ingredientes

– 1 ovo

РMeia xícara de aveia em flocos finos

РMeia xícara de água ou leite vegetal

– 1 dente de alho

РOrégano a gosto (1 colher de sobremesa)

– Sal a gosto

– Outros temperos desidratados a gosto

Modo de preparo

Massa: Bater todos os ingredientes no liquidificador ou mixer. Fica com consistência líquida. Em uma frigideira antiaderente colocar uma concha da massa por vez para fazer as panquecas, por aproximadamente um minuto ou até desprender do fundo e depois virar. Rende aproximadamente 3 ou 4 panquecas.

Recheio: Frango desfiado, refogado com cebola, tomate e alho. Acrescentar no final a√ßafr√£o e pimenta preta. Sal a gosto. Pode substituir por carne mo√≠da. Colocar o recheio em cada panqueca. Pode ainda acrescentar alface e r√ļcula no final.


Pr√≥xima p√°gina »

desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096