Existem v√°rias maneiras de se tratar a obesidade e o sobrepeso. O Bal√£o Intrag√°strico √© hoje um dos recursos mais utilizados para a perda do sobrepeso e tamb√©m para redu√ß√£o de peso antes da cirurgia bari√°trica. Uma das vantagens desse m√©todo √© que n√£o necessita cirurgia, o que torna o tratamento mais r√°pido e seguro. A t√©cnica faz a introdu√ß√£o de uma pr√≥tese de silicone no est√īmago, introduzido por meio de uma sonda endosc√≥pica, que depois ser√° preenchida com l√≠quido. Considerado um tratamento de interven√ß√£o, o bal√£o dever√° permanecer no est√īmago no per√≠odo de quatro a seis meses. Ap√≥s a coloca√ß√£o do bal√£o o paciente tem acompanhamento multidisciplinar no per√≠odo de nove meses, tempo m√°ximo desse tipo de tratamento. A Cl√≠nica Mova √© uma pioneira na utiliza√ß√£o desta t√©cnica no sul de Santa Catarina, com centenas de pacientes com excelentes resultados.

‚Äú√Č uma forma menos agressiva e que engloba todas as pessoas que desejam perder peso. Na regra de hoje a gente utiliza como linha de corte o √ćndice de Massa Corp√≥rea (IMC) acima de 27. Os resultados s√£o muito bons principalmente para os paciente que tem sobrepeso ou obesidade grau 1‚ÄĚ, explica o m√©dico cirurgi√£o, Dr. Leandro Avany Nunes.

Entendendo o funcionamento

Existem dois tipos de Bal√£o Intrag√°strico dispon√≠veis. Os que s√£o insuflados com ar e os que s√£o insuflados com uma solu√ß√£o de soro fisiol√≥gico e azul de metileno est√©reis, com volume que varia de 400 a 700 ml, dependendo do tamanho da c√Ęmara g√°strica, da idade do paciente, estatura e sexo.

Postula-se que aquele insuflado com ar causa menos desconforto por ser mais leve, mas apresenta maior dificuldade na sua retirada e também não existem meios de se diagnosticar precocemente se ele apresentar vazamentos. Este fato não ocorre com os que são preenchidos com a solução de soro fisiológico e azul de metileno, já que este líquido será absorvido pelo organismo, sem causar-lhe prejuízos, e mudará a cor da urina, alertando o paciente.

A retirada, assim como sua colocação se faz por meio de uma endoscopia, geralmente com sedação assistida por um anestesista, visando à segurança e o conforto do paciente. O tempo médio de procedimento não ultrapassa, na maioria das vezes, 10 a 15 minutos. Após sua retirada, se necessário ou desejado, o paciente poderá discutir com o médico a colocação de outro balão.


Na reuni√£o do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica a nutricionista da Cl√≠nica Mova, Michele Biff Citadin, distribuiu uma receita de ‚ÄėPanqueca salgada de aveia recheada com frango‚Äô. Segundo ela a receita √© uma boa fonte de fibras, j√° que cont√©m aveia e ainda alface e r√ļcula. ‚ÄúAl√©m disso, fornece um bom aporte prot√©ico j√° que o recheio pode ser feito com frango ou carne mo√≠da‚ÄĚ, completa. √Č uma √≥tima op√ß√£o para v√°rias horas do dia, caf√© da manh√£, lanche ou jantar.¬†Confira a receita:

Ingredientes

– 1 ovo

РMeia xícara de aveia em flocos finos

РMeia xícara de água ou leite vegetal

– 1 dente de alho

РOrégano a gosto (1 colher de sobremesa)

– Sal a gosto

– Outros temperos desidratados a gosto

Modo de preparo

Massa: Bater todos os ingredientes no liquidificador ou mixer. Fica com consistência líquida. Em uma frigideira antiaderente colocar uma concha da massa por vez para fazer as panquecas, por aproximadamente um minuto ou até desprender do fundo e depois virar. Rende aproximadamente 3 ou 4 panquecas.

Recheio: Frango desfiado, refogado com cebola, tomate e alho. Acrescentar no final a√ßafr√£o e pimenta preta. Sal a gosto. Pode substituir por carne mo√≠da. Colocar o recheio em cada panqueca. Pode ainda acrescentar alface e r√ļcula no final.


O problema da epidemia da obesidade que atinge mais de 18% da popula√ß√£o brasileira ser√° tema de mais um encontro do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica, promovido pela Cl√≠nica Mova. A reuni√£o √© aberta ao p√ļblico e gratuita, onde pacientes pr√© e p√≥s-operados, al√©m do p√ļblico em geral, ter√£o a oportunidade de ouvir informa√ß√Ķes e tirar d√ļvidas com os profissionais da cl√≠nica. Na ter√ßa-feira (28) o encontro vai ter como tema ‚ÄúAs expectativas no pr√©-operat√≥rio e quais os maiores desafios no p√≥s-operat√≥rio‚ÄĚ.

O bate papo vai ser comandado pelo m√©dico cirurgi√£o Leandro Avany Nunes e sua equipe a nutricionista Michele Biff Citadin, a Psicanalista Ana Paula Gramacho, e o m√©dico Marcos Maffioletti. ‚ÄúProcuramos mostrar as experi√™ncias de cada paciente e dessa forma, evidenciar os cuidados que precisam ser tomados para se manter o peso. As reuni√Ķes com a equipe multidisciplinar t√™m esta importante fun√ß√£o. Os pacientes que depois de operados participam das reuni√Ķes tem os melhores resultados, j√° que dificilmente esquecer√£o das orienta√ß√Ķes necess√°rias‚ÄĚ, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes.

A reuni√£o vai ocorrer na Cl√≠nica MOVA, localizada na Rua Estev√£o Em√≠lio de Souza, 108, no bairro Pr√≥spera, em frente ao Hospital Unimed. Mais informa√ß√Ķes pelos telefones (48) 3439-4096 e WhatApp (48) 99177-4096.


A Cl√≠nica Mova, inaugurada em maio de 2013 √© hoje refer√™ncia em equipe mutidisciplinar na medicina da obesidade videocirurgia. A cl√≠nica foi pensada para oferecer servi√ßos de promo√ß√£o da sa√ļde e do bem-estar. Conta com programas e m√©todos especiais, infraestrutura diferenciada, al√©m de, uma equipe formada pelo seu diretor t√©cnico m√©dico, cirurgi√£o Dr. Leandro Avany Nunes (CRM 8308), o m√©dico gastroenterologista Dr. Michel Faraco, psic√≥loga, Ana Paula Gramacho, nutricionista, Michele Biff Citadine e o Dr. Marcos Maffioletti.

‚ÄúChega um momento na vida dos pacientes com obesidade ¬†em que dietas, medica√ß√Ķes e os tratamentos n√£o auxiliam da maneira devida. Ent√£o √© a√≠ que entra a cirurgia bari√°trica, ou seja, para pacientes que possuem o √ćndice de Massa Corp√≥rea (IMC) acima de 35, indicando-se o procedimento com uma equipe capacitada e multidisciplinar, incluindo cirurgi√Ķes, nutricionistas, psic√≥logos e que possam avaliar e auxiliar para a t√©cnica mais adequada para cada pessoa‚ÄĚ, pontua Dr. Leandro. O Conselho Federal de Medicina (CFM) indica que a cirurgia bari√°trica deve ser feita para pacientes com diagn√≥stico de obesidade m√≥rbida, que corresponde ao IMC acima de 40 ou pacientes com IMC a partir de 35, associado a comorbidades decorrentes da obesidade, como diabetes, hipertens√£o e atrofias.

A Cl√≠nica Mova est√° localizada em frente ao Hospital Unimed Crici√ļma e conta com um espa√ßo de 700 metros quadrados, tr√™s andares, seis consult√≥rios e um audit√≥rio para 70 pessoas. Mensalmente a cl√≠nica realiza reuni√Ķes com pacientes pr√© e p√≥s-operat√≥rios, onde s√£o a equipe multidisciplinar da Cl√≠nica discute temas relacionados √† obesidade, tira d√ļvidas e tamb√©m repassa informa√ß√Ķes sobre a cirurgia bari√°trica.


Sempre em busca de conhecimento, tecnologia e inova√ß√£o, os cirurgi√Ķes, Dr. Leandro Avany Nunes e Dr. Jos√© Jair Cardoso participando do XX Congresso Brasileiro de Cirurgia Bari√°trica e Metab√≥lica, em Curitiba. Aliando a experi√™ncia e a habilidade, Crici√ļma conta com estes dois profissionais que atuam na Cl√≠nica Mova, refer√™ncia na medicina da obesidade no Sul de Santa Catarina.


Hérnia é a protrusão (saliência ou abaulamento) de uma víscera ou órgão através de um buraco (abertura) na parede abdominal. Hérnia inguinal é quando ela (a hérnia) ocorre na região da virilha. A doença pode se manifestar em qualquer idade, embora seja mais comum em recém-nascidos (devido a um defeito congênito) ou em idosos, devido ao enfraquecimento dos ossos. O diagnóstico da hérnia inguinal pode ser obtido através de um exame físico na região da virilha ou através de uma ecografia.

A videocirurgia é hoje um dos recursos mais utilizados para o tratamento, devido aos benefícios diretos para o paciente e por ser menos invasiva. Para o pós-operatório, são indicadas dieta nutricional e prescrição medicamentosa. Dicas de não ficar muito tempo deitado ou sentado, andar várias vezes ao dia e retomar lentamente o ritmo de vida, também devem ser observadas.

‚ÄúA videocirurgia √© a op√ß√£o de tratamento mais recomendada e mais utilizada porque possibilita ao paciente retomar suas atividades habituais em menor tempo‚ÄĚ, explica o m√©dico cirurgi√£o, Dr. Leandro Avany Nunes.

Normalmente, quem possui hérnia inguinal é capaz de observar a saliência ou abaulamento na região da virilha, em um ou nos dois lados. A saliência fica mais evidente quando a pessoa tosse, levanta peso ou faz força. Também pode causar desconforto ou dor fraca. A complicação mais temida é o estrangulamento, quando o intestino fica preso dentro da hérnia, podendo sofrer até gangrena, senão tratada com urgência.

Atingindo cerca de 15% da popula√ß√£o, a doen√ßa √© mais comum em homens do que em mulheres, e as chances de adquirir podem aumentar ainda mais em trabalhadores bra√ßais ou em pacientes que apresentarem constipa√ß√£o intestinal cr√īnica, obesidade, tabagismo, doen√ßa da pr√≥stata ou pulm√£o, cora√ß√£o e f√≠gado.


O combate √† obesidade pode ser enfrentado de v√°rias formas, incluindo atividade f√≠sica regular e alimenta√ß√£o saud√°vel. Pacientes com dificuldades de perda de peso ou que j√° t√™m o quadro de obesidade contam com tratamentos que ajudam nesse processo, principalmente para pessoas que t√™m maior dificuldade para emagrecer. ‚ÄúComo outros procedimentos de perda de peso, o bal√£o intrag√°strico requer compromisso com um estilo de vida mais saud√°vel, incluindo mudan√ßas saud√°veis permanentes em sua dieta e a pr√°tica de exerc√≠cios f√≠sicos regularmente, que garantam a manuten√ß√£o do peso a longo prazo‚ÄĚ, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, diretor t√©cnico da Cl√≠nica Mova.

Confira o vídeo sobre o balão intragástrico:


O sobrepeso e a obesidade est√£o relacionados a uma s√©rie de problemas no organismo, como a hipertens√£o arterial, altera√ß√Ķes do colesterol e aumento do risco de desenvolver uma s√©rie de doen√ßas, entre elas o diabetes. De acordo com uma pesquisa do¬†Centro de Neuroci√™ncias Comportamentais da American University, em Washington, D.C., a condi√ß√£o tamb√©m pode ser ruim para o c√©rebro.

A descoberta se deu enquanto o a equipe¬†buscava informa√ß√Ķes sobre o hipocampo, uma parte do c√©rebro que est√° fortemente relacionada √† mem√≥ria. Ele tentava descobrir quais eram as atribui√ß√Ķes das diferentes partes do hipocampo. Um dos estudos, realizado com ratos, verificava o que ocorria ap√≥s danos espec√≠ficos no hipocampo.

Nesta etapa, notou-se que os ratos com danos no hipocampo procuravam alimentos com mais frequência do que os demais, mas comiam um pouco e logo deixavam a comida de lado.

A conclus√£o foi de¬†que esses ratos n√£o sabiam se estavam satisfeitos. Os pesquisadores acreditam que o¬†mesmo¬†possa acontecer em c√©rebros humanos, quando as pessoas mant√™m uma dieta rica em gordura e a√ß√ļcar.

A partir da√≠, eles cruzaram os resultados de outros estudos sobre o tema, e chegaram √† conclus√£o de que uma dieta rica em gorduras saturadas e a√ß√ļcares pode, sim, afetar regi√Ķes do c√©rebro importantes para a mem√≥ria.

Novos caminhos para o tratamento da obesidade

O entendimento de como a obesidade afeta o cérebro e a memória pode ser um grande caminho para evitar que as pessoas se tornem obesas.

Se a qualidade dos alimentos contidos na dieta das pessoas obesas pode causar preju√≠zos √† mem√≥ria e torn√°-las mais propensas a comer demais, ent√£o talvez fazer das refei√ß√Ķes mais marcantes possa ajudar a comer menos coisas ruins. Assistir televis√£o durante o almo√ßo, por exemplo, faz com que as pessoas se distraiam e acabem comendo mais. Tamb√©m aumenta a probabilidade de ter fome na parte da tarde e novamente comer excessivamente no jantar.

Evitar assistir televis√£o durante as refei√ß√Ķes, portanto, √© uma pequena mudan√ßa, bastante simples, que n√£o envolve muito autocontrole ou sacrif√≠cio, mas que pode fazer uma diferen√ßa significativa.

Pesquisadores da Universidade de Cambridge, que teve um dos estudos utilizados pela equipe de Washington, afirmam que o vínculo entre a obesidade e o cérebro vem crescendo como campo de pesquisa, e a ideia é que surjam novas formas de direcionar o tratamento da obesidade.


Azia, queima√ß√£o e dor tor√°cica. Esses s√£o alguns dos sintomas do refluxo. Atualmente, a doen√ßa do refluxo gastroesof√°gico (DRGE), afeta cerca de 12% da popula√ß√£o, o que corresponde a aproximadamente 20 milh√Ķes de brasileiros. Mesmo fazendo parte da vida de um grande n√ļmero de pessoas, somente cerca de 30% dos pacientes afetados pela doen√ßa, procuram assist√™ncia m√©dica.

Causada por diversos fatores como a m√° alimenta√ß√£o, obesidade, diabetes, ansiedade, h√©rnia de hiato, tabagismo, alcoolismo e gravidez, a doen√ßa muitas vezes √© ignorada por seus portadores, que abusam das automedica√ß√Ķes, e n√£o se d√£o conta de que as complica√ß√Ķes ocasionadas pelo dist√ļrbio podem at√© ser fatais.

Prevenção

√Č poss√≠vel prevenir o refluxo combatendo a obesidade, o tabagismo, evitando refei√ß√Ķes volumosas e a ingest√£o de l√≠quidos durante as refei√ß√Ķes, principalmente gasosos.

H√° ainda a import√Ęncia de n√£o se deitar logo ap√≥s as refei√ß√Ķes, de evitar o √°lcool em excesso, principalmente √† noite, e n√£o consumir alimentos que propiciam o refluxo, como frituras e molhos gordurosos.

 

 


A obesidade √© um dos principais problemas de sa√ļde p√ļblica da sociedade moderna. Segundo a Pesquisa de Vigil√Ęncia de Fatores de Risco e Prote√ß√£o de Doen√ßas Cr√īnicas por Inqu√©rito Telef√īnico (Vigitel) e Minist√©rio da Sa√ļde (2017), √© uma doen√ßa que j√° afeta 18,9% dos brasileiros. J√° o sobrepeso atinge mais da metade da popula√ß√£o (54%).

Sem d√ļvida a mudan√ßa dos h√°bitos alimentares nas fam√≠lias √© um dos grandes motivadores dessa nova realidade, impactando diretamente na sa√ļde de adultos, jovens e crian√ßas. ‚ÄúO arroz e o feij√£o, por exemplo, n√£o s√£o mais unanimidade. H√° mais comidas industrializadas, mais fast food e menos consumo de comidas mais frescas‚ÄĚ, explica o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, uma das refer√™ncias em cirurgia e tratamento da obesidade em Santa Catarina.

Os índices nacionais indicam que entre os jovens, a obesidade aumentou 110% entre 2007 e 2017. Esse índice foi quase o dobro da média nas demais faixas etárias (60%). O crescimento foi menor nas faixas de 45 a 54 anos (45%), 55 a 64 anos (26%) e acima de 65 anos (26%).

Para o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, apesar da relev√Ęncia dos fatores gen√©ticos no desenvolvimento da obesidade, essa situa√ß√£o pode ser evitada, a come√ßar pela educa√ß√£o das crian√ßas dentro de casa e na escola. ‚ÄúDeve-se optar sempre por refei√ß√Ķes e lanches saud√°veis e, de prefer√™ncia, n√£o comprar alimentos industrializados e ricos em gordura‚ÄĚ, completa.

Outros fatores que ajudam na prevenção da obesidade, além da alimentação saudável, rica em carnes magras, vegetais, frutas e massas integrais, deve-se manter a prática regular de exercícios físicos. Atividades como esportes coletivos, corrida, dança, caminhada e ciclismo, por exemplo, além de fazerem bem ao corpo, são fontes de prazer e socialização.

Op√ß√Ķes de tratamentos

A primeira op√ß√£o para se livrar do excesso de peso √© o chamado tratamento cl√≠nico. ‚ÄúNormalmente ap√≥s uma avalia√ß√£o de um m√©dico endocrinologista, exclu√≠das as causas cl√≠nicas, o mesmo dever√° propor ao paciente uma mudan√ßa na escolha alimentar, priorizando alimentos saud√°veis‚ÄĚ, conta Avany. Reorganizar os hor√°rios das refei√ß√Ķes, iniciar ou aumentar a pr√°tica de atividade f√≠sica, podendo em casos especiais propor o uso de medica√ß√£o que otimize a perda de peso e facilite as mudan√ßas comportamentais. ‚ÄúOs tratamentos devem objetivar o bem estar e a sa√ļde do indiv√≠duo, para diminui√ß√£o dos riscos de doen√ßas associadas. Embora, com frequ√™ncia, a obten√ß√£o de resultados est√©ticos fa√ßa parte das expectativas do paciente, esse n√£o √© o principal objetivo‚ÄĚ, acrescenta ele.

Cirurgias

Nos casos em que ocorre falha do tratamento cl√≠nico da obesidade e o mesmo se mostra ineficaz, o tratamento cir√ļrgico deve ser considerado. O m√©todo √© conhecido popularmente como “redu√ß√£o de est√īmago”, mas vai muito al√©m. Existem v√°rios m√©todos ou tipos de tratamentos dispon√≠veis, que devem ser aprovadas pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), para uso e pr√°tica cl√≠nica, cabendo ao m√©dico apresent√°-los ao paciente e recomendar o mais apropriado e seguro para cada caso.

Uma op√ß√£o √© o bal√£o intrag√°strico, um dispositivo de silicone que, ap√≥s bem posicionado no est√īmago por via endosc√≥pica e n√£o cir√ļrgica, √© insuflado com 400-700 ml (volume ajust√°vel) de soro fisiol√≥gico e contraste. √Č uma t√©cnica gastro-restritiva pura, indicada para pacientes com √ćndice de Massa Corporal (IMC) maior que 27 kg/ m2 (ou maior que 30 kg/m2 depende do fabricante).

‚ÄúProjetado para provocar uma sensa√ß√£o de saciedade precoce e diminuir a capacidade do reservat√≥rio g√°strico, diminui o consumo de alimentos e facilita a adapta√ß√£o a uma dieta hipocal√≥rica associada √† mudan√ßa comportamental‚ÄĚ, analisa Leandro Avany Nunes.

A cirurgia bari√°trica e metab√≥lica, tamb√©m conhecida como cirurgia da obesidade, ou, popularmente, redu√ß√£o de est√īmago, re√ļne t√©cnicas com respaldo cient√≠fico, destinadas ao tratamento da obesidade m√≥rbida e ou obesidade grave e das doen√ßas associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele.

A Cl√≠nica Mova, em Crici√ļma, oferece diversos tipos de tratamentos. Al√©m disso, todos os meses promove a reuni√£o do Grupo Multidisciplinar de Cirurgia Bari√°trica a pacientes pr√© e p√≥s-operados. O encontro √© gratuito e aberto a comunidade e √© um momento para troca de experi√™ncias e informa√ß√Ķes, com a participa√ß√£o de pacientes, m√©dicos, psic√≥logo, nutricionista e educador f√≠sico.


desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096