A criciumense¬†Edna Ferreira Baggio pesava 134 quilos h√° um ano e quatro meses. O excesso de peso a impedia de usar cal√ßa jeans, cruzar as pernas, amarrar o sapato sozinha, al√©m de trazer complica√ß√Ķes para andar e causar ronco intenso. Depois de tentar v√°rias dietas e consultar diversos especialistas, ela resolveu fazer a cirurgia bari√°trica (redu√ß√£o de est√īmago). Hoje, Edna est√° com 69 quilos e faz quest√£o de dizer para todos o quanto est√° satisfeita com a mudan√ßa.

“Nunca vou esquecer de uma frase que o m√©dico disse na minha primeira consulta: Voc√™ est√° dentro de um avi√£o que est√° caindo. Vou te dar um paraquedas, mas s√≥ voc√™ decide se quer us√°-lo ou n√£o. Isso me emocionou porque minha sa√ļde estava complicada e hoje tenho outra vida. Algumas pessoas n√£o me reconhecem porque perdi muitos quilos. Uma sensa√ß√£o √≥tima √© quando vou comprar roupas, pego o tamanho G, mas a vendedora diz que o M serve em mim”, brinca ela.

Edna √© paciente do doutor¬†Leandro Avany Nunes, m√©dico cl√≠nico e especialista em cirurgia do aparelho digestivo. Ele tem mais de 11 anos de trabalho e conta que realiza em torno de 25 cirurgias bari√°tricas por m√™s, sendo que j√° teve mais de mil pacientes operados. A fim de tirar ainda mais d√ļvidas dos pacientes, ele promove encontros mensais entre pessoas que j√° fizeram a cirurgia e outras que se preparam para fazer isso. Acompanhe abaixo a √≠ntegra da entrevista feita com o m√©dico.

Portal Engeplus: Quem pode fazer esses procedimentos que visam o emagrecimento? Geralmente que tipo de pessoa procura essas interven√ß√Ķes?
Leandro Avany Nunes: Muitos pacientes procuram a cl√≠nica, desde aqueles que t√™m o sobrepeso at√© os que t√™m obesidade m√≥rbida. S√£o dois tipos de tratamento: o bal√£o intrag√°strico para pacientes com sobrepeso e obesidade leve; e a cirurgia bari√°trica (redu√ß√£o de est√īmago) para quem j√° est√° com obesidade m√≥rbida. Descobrimos esses fatores atrav√©s do c√°lculo do √ćndice de Massa Corp√≥rea (IMC). Quem tem o IMC acima de 25 j√° est√° com sobrepeso; e quem tem o IMC acima de 40 j√° se enquadra na obesidade m√≥rbida. H√° ainda os pacientes com IMC maior do que 35, mas com diabetes, press√£o alta, apneia do sono, por exemplo, e essas s√£o comorbidades em que √© recomendada a cirurgia.

PE: Quais são os prós e contras da cirurgia?
LAN: Os pr√≥s s√£o o emagrecimento com sa√ļde e a perman√™ncia do baixo peso, enquanto em outros m√©todos de tratamento cl√≠nico o paciente tem muito mais chances de voltar a engordar. Os contras s√£o as complica√ß√Ķes da cirurgia, pois toda cirurgia tem complica√ß√£o, ent√£o devem ser tomados alguns cuidados. Entre as complica√ß√Ķes desse tipo de cirurgia est√£o as f√≠stulas, trombose, embolia, situa√ß√Ķes que podem acontecer, mas que, hoje, gira em torno de 0,1% o √≠ndice de complica√ß√Ķes nos pacientes operados, at√© porque a cirurgia √© feita atrav√©s de videolaparoscopia.

PE: Em qual faixa et√°ria √© recomendada a cirurgia de redu√ß√£o de est√īmago?
LAN: A idade mínima é de 16 anos e máxima de 65 anos. Antes dos 16 anos recomendamos que o paciente acima do peso faça outros procedimentos. Caso não resolva, ele pode fazer a cirurgia depois dos 16 anos.

PE: No caso dos dois procedimentos para emagrecer, a procura maior é dos homens ou das mulheres?
LAN: A obesidade √© meio homog√™nea, tanto em homens como em mulheres, mas quem mais procura s√£o as mulheres. Por raz√Ķes naturais, pois elas s√£o mais cuidadosas com a sa√ļde, mas tamb√©m porque elas t√™m maior preocupa√ß√£o com a est√©tica. No entanto, esses tipos de procedimentos n√£o devem ser feitos por quem deseja apenas melhorar a est√©tica, eles s√£o para quem precisa melhorar sua sa√ļde, sua condi√ß√£o de vida, por isso a cirurgia, por exemplo, √© feita somente nas pessoas com IMC acima de 40, pois s√£o aquelas que j√° est√£o com problemas de sa√ļde, como diabetes, press√£o alta, infarto, isquemia.

PE: Al√©m do √ćndice de Massa Corp√≥rea, o que mais deve ser avaliado para que a pessoa possa fazer a cirurgia bari√°trica?
LAN: O paciente passa por uma avaliação com nutricionista, psicólogo, cardiologista, gastroenterologista, endócrinologista, além de fazer exames como hemograma (sangue), endoscopia, ultrassom, eletrocardiograma, raio-X de tórax, polissonografia para saber se tem ou não apneia do sono, entre outros. Com todos esses exames feitos e analisados, o paciente pode fazer a cirurgia.

PE: No caso do balão intragástrico, o procedimento é o mesmo?
LAN: Não, para o balão são pedidos exames bem simples de sangue e avaliação nutricional e psicológica, sem a necessidade da mesma gama de exames. A colocação do balão não se trata de uma cirurgia, é uma intervenção através da endoscopia.

PE: Como é a recuperação do paciente após a cirurgia de redução?
LAN: O paciente fica internado dois dias, n√£o h√° cortes, s√£o pequenos furos de cinco mil√≠metros no abd√īmen, e ele deve fazer acompanhamento m√©dico pelo resto da vida, mas com retorno a cada tr√™s meses no primeiro ano, seis meses no segundo e depois uma vez por ano.

PE: O que é mais difícil na adaptação do paciente depois da bariátrica?
LAN: O primeiro mês é o mais difícil em virtude da adaptação à alimentação porque a dieta é só líquida no primeiro mês. Depois ele passa para a dieta sólida e essa adaptação é mais fácil.

PE: √Č poss√≠vel reverter esses procedimentos?
LAN: Sim, todas as cirurgias são reversíveis, é difícil, mas reversível, de acordo com o desejo do paciente.

PE: Sobre os encontros, ocorrem onde e quando? Quem participa?
LAN: Acontecem mensalmente na cl√≠nica mesmo e todos os pacientes que j√° operaram s√£o convidados, assim como os novos pacientes que est√£o em consulta na cl√≠nica e desejam fazer a cirurgia. Os encontros contam com nutricionistas, psic√≥logos, cirurgi√Ķes, cirurgi√Ķes pl√°sticos. √Č importante que todo paciente novo participe de, pelo menos, uma reuni√£o, pois √© onde ele tem a oportunidade de fazer perguntas, n√£o somente para os m√©dicos, mas para outros pacientes que j√° passaram por isso e podem relatar sua experi√™ncia. Pessoas que fizeram a cirurgia h√° dez anos, dois anos, um m√™s, poder√£o responder as d√ļvidas de quem vai faz√™-la em breve.

*Fonte: Portal Engeplus

Acesse: http://www.engeplus.com.br/0,,67152,Cirurgia-bariatrica-prciana-vida-na-para-pesss-esas.html


desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096