A equipe de cirurgi√Ķes de Crici√ļma constitu√≠da pelos m√©dicos Leandro Avany Nunes, Irani Valetin Alberton Junior, Jo√£o de Bona Castelan e Jos√© Jair Cardoso registra os dez anos de atividade e cerca de mil pacientes obesos operados usando a t√©cnica de redu√ß√£o do est√īmago. ¬†A cirurgia bari√°trica tem representado no mundo todo uma nova chance para os pacientes obesos m√≥rbidos e ao longo das √ļltimas d√©cadas este tratamento tem evolu√≠do em tecnologia, sendo a videocirurgia uma das mais relevantes. Aplicado com mais frequ√™ncia, o procedimento soma benef√≠cios ao paciente, que permanece menos tempo em cirurgia e tamb√©m tem um per√≠odo de recupera√ß√£o mais r√°pido. A cada ano os n√ļmeros da videocirurgia crescem e, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bari√°trica e Metab√≥lica, das 60 mil realizadas no Brasil¬†em 2010, 35% foram por videolaparoscopia.

Em Crici√ļma, os pacientes que s√£o operados continuam a ter acompanhamento por um grupo formado por uma equipe especializada com relatos da sua vida ap√≥s o tratamento. De acordo com o cirurgi√£o Leandro Avany Nunes, os m√©dicos promovem tamb√©m anualmente o projeto Vida Leve, como um dia de a√ß√£o de conscientiza√ß√£o. ‚ÄúPorque n√≥s, cirurgi√Ķes bari√°tricos, sentimos a necessidade de n√£o s√≥ operar o paciente. Esse projeto vem ao encontro da busca de uma melhor qualidade de vida. Uma vida mais saud√°vel, uma vida mais feliz‚ÄĚ, observa Dr. Leandro.

‚ÄúEu n√£o comia direito durante o dia. As atividades do trabalho, casa, marido e filhos s√£o muitas e quando eu chegava em casa a noite eu comia muito.¬†Eu j√° tinha feito de tudo para emagrecer, a cirurgia bari√°trica foi o √ļltimo recuso e, gra√ßas a Deus, eu consegui realizar o meu sonho‚ÄĚ, √© assim que Gisele Adriana Nuernberg, aos 40 anos, conta sua hist√≥ria. Depois de fazer todas as dietas poss√≠veis, do sol, da lua, do ch√° e sem obter sucesso. Gisele optou pela cirurgia bari√°trica e h√° dois anos vive com mais sa√ļde e a auto-estima elevada.

Aos 40 anos e pesando mais de 160kg, Marcelo Panizzutti Oliveira acredita que realizar a cirurgia bari√°trica foi uma¬†das decis√Ķes mais importantes de sua vida. ‚ÄúMeu maior sofrimento era o preconceito. Eu passava por muitos constrangimentos‚ÄĚ, lembra. ¬†Em 2012, o t√©cnico em manuten√ß√£o completou tr√™s anos de cirurgia, com 70 kg a menos e uma vida renovada a partir da mudan√ßa de h√°bitos alimentares, rotina e com auto-estima. ‚ÄúEu me preparei para a cirurgia, j√° entrei e sai do centro cir√ļrgico pensando diferente. Hoje eu como muito menos e posso praticar outras atividades f√≠sicas que eu n√£o podia‚ÄĚ, explica.

SOBRE A CIRURGIA

A cirurgia bari√°trica √© indicada aos pacientes com IMC acima de 35, quando associada a alguma doen√ßa. Nos demais casos a indica√ß√£o para este tratamento √© de IMC acima de 40. ‚ÄúChega um momento na vida dos pacientes com obesidade m√≥rbida que as dietas, as medica√ß√Ķes e os tratamentos n√£o resolvem mais. Ent√£o √© a√≠ que entra a cirurgia bari√°trica. Para aquele paciente que tem seu IMC maior que 40, indica-se o procedimento da cirurgia bari√°trica com toda uma equipe multidisciplinar, com equipe de cirurgi√Ķes, nutricionista, psic√≥logo e com a escolha da t√©cnica correta por meio da consulta e da avalia√ß√£o desse paciente pr√©-operat√≥rio‚ÄĚ, observa o Dr. Leandro Avany.

Somente após essa preparação e avaliação, realizada por esta equipe multidisciplinar formada por nutricionista, um psicólogo e outros profissionais médicos como o endocrinologista, onde são trabalhados todos os aspectos do pré e pós-operatório, então o paciente é encaminhado para a cirurgia.

Na t√©cnica por v√≠deo s√£o feitas apenas 4 a 5 mini-incis√Ķes de 0,5 cm cada uma. Nestes espa√ßos s√£o inseridas c√Ęnulas e a c√Ęmera de v√≠deo, que documenta todo o procedimento. Diferente de um procedimento aberto, com dura√ß√£o de duas a quatro horas, a cirurgia por v√≠deo √© realizada em at√© uma hora e meia. O tempo de recupera√ß√£o tamb√©m √© reduzido de cinco para tr√™s dias, na maioria dos casos. ‚ÄúUm terceiro e importante aspecto que favorece o paciente que opta pela videolaparoscopia √© a diminui√ß√£o dos riscos de infec√ß√£o e de h√©rnias nos local do corte, possibilitando ao paciente o retorno ao trabalho num tempo menor‚ÄĚ, salienta o Dr. Leandro Avany.¬† ‚ÄúA atividade f√≠sica no p√≥s-operat√≥rio do paciente tamb√©m √© uma das coisas mais importantes. Primeiro, porque com a grande perda de peso, para impedir a flacidez da pele, √© necess√°rio o fortalecimento muscular. N√£o basta s√≥ operar e emagrecer. Voc√™ necessita de muita atividade f√≠sica para fortalecer sua musculatura e se tornar mais saud√°vel‚ÄĚ, completa.

O acompanhamento do paciente obeso √© realizado ao longo de v√°rios meses no p√≥s-operat√≥rio. Neste per√≠odo √© feito todo um trabalho de reeduca√ß√£o alimentar, acompanhado pelo nutricionista e pelo psic√≥logo. Al√©m dos aspectos nutricionais os pacientes s√£o orientados a uma rotina de atividades f√≠sicas, a fim de evitar o reganho de peso e uma nova realidade de sa√ļde e qualidade de vida.


desenvolvido por Cacto Publicidade
Rua Estevão Emílio de Souza, 108 (em frente ao Hospital Unimed) :: Próspera :: Criciúma/SC :: Tel. (48) 3439.4096